Ações

Varinha das Varinhas

De Dicionário Madame Pince

Varinha das Varinhas

"Uma varinha digna de um bruxo que derrotara a Morte", foi o que disse Antíoco Peverell.
Varinha das Varinhas.jpg
le foi o primeiro dono da Varinha das Varinhas, um poderoso objeto criado pela Morte e conhecido por muitos como uma das Relíquias da Morte.

A designação não poderia ser mais condizente a sua extrema capacidade. Ela era uma varinha com características fora do comum: inquebrável e invencível. Seu proprietário poderia ser fraco e impotente, porém estar com a varinha lhe garantia a vitória sempre. Assim como toda Relíquia, a Varinha das Varinhas passou por diversos proprietários durante a história. Então é realmente difícil calcular precisamente quantas gerações bruxas tiverem contato com os presentes da Morte.

A Varinha das Varinhas possui uma forma peculiar de transferência de posse. Diferente da capa ou da pedra, a varinha tem seus efeitos anulados se passada de forma casual. É necessário subjugar e vencer o portador da Varinha das Varinhas para ganhar lealdade do objeto e, assim, se tornar o seu verdadeiro dono.

Como todas as varinhas, a Varinha das Varinhas não poderia deixar de possui um núcleo. Esta singular varinha apresenta pêlo de rabo de Testrálio, uma poderosa substância. A técnica de inserção deste núcleo é creditada apenas aos grandes bruxos capazes de enfrentar a morte.

Segundo comentário de Alvo Dumbledore no clássico infantil dos Contos de Beedle: "Nenhuma bruxa jamais afirmou ter sido dona da Varinha das Varinhas".


Origem

A primeira menção desta varinha está presente nas páginas d'O Conto dos Três Irmãos, escrito por Beedle, o Bardo. Conta-se que ela foi fabricada pela Morte em pessoa, atendendo o pedido de Antíoco, que desejava uma varinha capaz de lhe transformar no maior duelista. A varinha foi moldada a partir do galho de um vetusto sabugueiro, que Ela buscara na margem do rio.

Mais informações...


História passada

O nome Varinha das Varinhas ganhou diversos nomes através dos séculos, sendo conhecida também como Varinha do Destino e Varinha da Morte. Essa mudança sempre ocorreu quando bruxos das Trevas se apoderavam delas e saiam se gabando de possuí-las. Na realidade, poucas foram a tal varinha de que Antíoco desejou.

Como dito, não se sabe ao certo a ordem de pessoas donas da varinha, mas segundo o "pesquisador" da área Xenofílio Lovegood alguns nomes são facilmente lembrados na manchada memória da história bruxa:

¹ assassinado por seu filho na adega de casa

² os rastros da derrota de Loxias circundam Arco e Lívio (sem informações adicionais)


História atual - séc. XX

No início do século XX a varinha se encontrava em posse de Gregorovitch, o artesão da varinha de Vítor Krum, sendo roubada mais tarde pelo jovem e loiro Grindelwald, entretanto na ocasião Gregorovitch não soube que foi ele.

Porém como de costume aos donos da varinha, ele usou-a para propósitos destrutivos. Como Grindelwald ganhou poder, Dumbledore percebeu que era o único que poderia detê-lo. E em 1945 Dumbledore o desafiou para um duelo e o derrotou. Grindelwald foi preso pelo resto da vida em Nurmengard e Dumbledore acabou sendo premiado e muito conhecido por sua façanha. A varinha trocava novamente de dono. Ela seria a varinha do grande diretor de Hogwarts até sua morte em 1997.

A beira da morte, Dumbledore quis que Severo Snape se tornasse o dono da varinha. Porém a falha no plano ocorreu porque a morte havia sido pré-programada. Snape não o tinha derrotado verdadeiramente. Ao invés disso o mestre legítimo da varinha se tornou o bruxo que desarmara Dumbledore antes da sua morte: Draco Malfoy. Quando Harry roubou a varinha de Malfoy durante um confronto na Mansão Malfoy, ele virou o senhor dela, entretanto nem ele nem Malfoy já haviam tocado ou usado ela.

A própria vara foi enterrada com Dumbledore e roubado do seu túmulo por Voldemort.

(?) = Gregorovitch = Grindelwald = Dumbledore = Draco Malfoy = (?)


História recente

Depois de dois momentos ímpares entre as varinhas de Voldemort e Harry; no cemitério de Godric's Hollow e na operação dos sete potters, o Lorde das Trevas estava em busca de uma nova varinha que não fosse afetada pelos laços que elas misteriosamente mantinham. Então, ele desejava a Varinha das Varinhas.

A exemplo de alguns eventos passados, como as Horcruxes, Voldemort saiu obcecado pelas histórias da varinha invencível. Ele foi atrás dos dois maiores artesões de varinhas da Europa: primeiro capturou e torturou o sr. Olivaras no qual descobriu sobre os núcleos gêmeos entre as varinhas dele e de Harry. Além dessa informação, Voldemort dezutilizou Olivaras quando lhe dera a informação de que Gregorovitch poderia ter relação com a Varinha das Varinhas.

Voldemort viajou até o Leste Europeu, mas não encontrou a tal varinha em posse de Gregorovitch, matando-o em seguida. Porém as pistas se encurtavam cada vez mais. E ele foi à Nurmengard "falar" com Grindelwald, o possível ladrão que roubou a varinha de Gregorovitch. Ele novamente não encontrou a resposta que gostaria de ouvir. E em seguida matou Grindelwald, que num último instante ainda mostrava uma certa resistência contra os ataques do Lorde.

Depois do encontro com Grindelwald, Voldemort tinha certeza de que Dumbledore foi o último dono da varinha. E se dirigiu à Hogwarts. Ele violou o túmulo e roubou a Varinha das Varinhas de Dumbledore.

Para a infelicidade de Voldemort, os poderes extraordinários da varinha não se revelaram como previa; ele concluiu assim que Severo Snape deveria ter sido o último senhor da varinha, pelo motivo de que o professor de Poções tinha matado o ex-diretor. Voldemort matou Snape, e ficou crente que desta vez, ele exercia domínio pleno sobre ela.

Porém, Voldemort não sabia que Draco havia desarmado Dumbledore; nem soube que Harry Potter por conseguinte havia tirado a varinha de Draco Malfoy, fazendo de Harry o último dono da Varinha das Varinhas. Quando Harry e Voldemort estavam cara-a-cara no duelo final, Harry usou o feitiço Expelliarmus contra a Maldição da Morte, desarmando a Varinha das Varinhas, que recusando o ataque do seu senhor, ricocheteou em Voldemort, promovendo sua derradeira morte.

Observação: Para alguns casos, o assassinato não é o único meio para a transferência de posse. Como ocorreu com Draco e Harry, quando eles desarmaram o oponente, "vencendo" e registrando a sua legítima posse. Esta regra é muito similar a regra universal das varinhas, quando a varinha conquistada tem sua lealdade trocada. Baseado em um complicado sistema, a Varinha das Varinhas tem presumivelmente em seu precioso núcleo, uma espécie de histórico em que não importa portar o objeto em si, mas carregar a verdadeira posse até com uma varinha comum, mesmo sem saber.

(?) = Gregorovitch = Grindelwald = Dumbledore = Draco Malfoy = Harry Potter = .


Encanto rompido

Harry só usou a Varinha das Varinhas para um feitiço - Reparo - quando ele concertou a sua varinha, quebrada no incidente recente em Godric's Hollow. Além disso Harry recolocou-a no túmulo de Dumbledore, deixando claro que pretende morrer naturalmente e que ninguém mais se apodere da varinha, o que faria os seus efeitos esvaziarem.


Em inglês: Elder Wand


Livros: RdM (p. 317, 318, 387, 388, 582), CdB







ESPECIAIS
<a href="http://www.potterish.com/wiki/index.php/Categoria:Arte">Fan Arts</a> | <a href="http://www.potterish.com/wiki/index.php/QG_Esfinge">Quizzes</a> | <a href="http://www.potterish.com/wiki/index.php/Portal:Vira-Tempo">Linhas do Tempo</a> | <a href="http://www.potterish.com/wiki/index.php/Categoria:Penseira">Biografias</a> | <a href="http://wiki.potterish.com/index.php/Portal:Sonorus">Citações</a>



Para correções, sugestões, críticas e elogios, entre em contato! Clique <a href="http://arquivo.potterish.com/?p=con">aqui</a>.