Ações

Harry Potter:Sonhos

De Dicionário Madame Pince

Sonhos de Harry...

na Infância

Muitas vezes há pistas importantes nos sonhos. Na verdade, os poderes extra-sensoriais de Harry não são limitados à previsão. Além dos sonhos, ele muitas vezes sente a presença de outras pessoas mesmo quando elas não são visíveis para ele, ocultas na escuridão.

A tarefa de Harry de fazer um diário dos sonhos para Trelawney no seu quinto ano teria sido ideal para ele se tornar mais analítico com os sonhos, claro. Infelizmente, dado a mania de Trelawney de ler a tarefa de casa dos alunos em voz alta na classe, Harry sabia que iria fazer o conteúdo da sua mente propriedade pública se escrevesse uma avaliação honesta.

Harry cometeu o erro de contar ao seu tio Válter Dursley sobre um sonho que ele tinha tido sobre uma motocicleta voadora. Válter quase bateu o carro por gritar com ele; os Dursleys odiavam ouvir sobre algo que atuava de um modo que não deveria.

Quando ele era mais jovem, Harry tinha sonhado e sonhado com um desconhecido que vinha para levá-lo embora. Embora na época ele não tivesse nenhuma idéia, este sonho iria se realizar além do que ele poderia imaginar no seu décimo primeiro aniversário.

Depois da sua primeira viagem no Expresso de Hogwarts, a sua introdução a escola, e a Seleção, Harry teve um sonho estranho. Ele usava o turbante de Quirrell, que falou com ele, dizendo para ele transferir-se para a Sonserina. O turbante ficou mais pesado e apertado na sua cabeça. Ele viu Malfoy rir, que se tornou Snape, cujo riso ficou alto e frio. Ele despertou depois de um flash de luz verde. As conexões com Voldemort eram óbvias: o turbante falando com ele, o alto riso frio, o flash verde de luz. É interessante que Malfoy e Snape eram conectados a Voldemort no sonho, um se transformando no outro. Isto prenuncia o sonho de Harry na aula de Adivinhação vários anos depois, quando um corujão voa para uma cadeira e Voldemort é revelado lá; a família Malfoy tem um corujão.

Depois de passar três noites fitando a imagem da sua família no Espelho de Ojesed, Harry começa a ter pesadelos com seus pais desaparecendo em um flash de luz verde enquanto uma alta voz ri. A voz de Voldemort é descrita como alta e fria.

Durante várias semanas depois de enfrentar Voldemort pela segunda vez na sua vida, desta vez em Hogwarts, Harry iria despertar no meio da noite suando frio, se preocupando que o Lord das Trevas estava voltando.

Quando o tio Válter havia trancado Harry no seu quarto e colocado grades nas janelas, Harry sonhou que ele estava em um jardim zoológico com uma placa que dizia BRUXO MENOR DE IDADE atada à sua jaula. Ele estava em uma cama de palha sendo fitado por pessoas e também por Dobby, que se recusou a ajudá-lo, respondendo em vez disso que "Harry Potter está seguro!" Então os Dursleys fitavam-no e sacudiam as grades da sua jaula. Quando ele despertou, Rony estava do lado de fora da sua janela, sacudindo as grades para atrair sua atenção.

Considerando que Dumbledore explicou quase quatro anos depois sobre o papel dos Dursleys nos seus planos de longo prazo para proteger Harry, observe a associação na mente de Harry com a segurança e ser preso com os Dursleys.

na Adolescência

Depois de ganhar o jogo de quadribol contra a Corvinal seu terceiro ano, quando Harry usou um Feitiço do Patrono para repelir o que ele pensou ser um par de dementadores, Harry teve um sonho. Ele andava por uma floresta carregando a sua Firebolt, seguindo algo que era branco-perolado, como o seu Patrono. Ele só podia vislumbrá-lo e quando ele tentava alcançá-lo, ouviu o som de cascos. Despertou antes que tivesse a possibilidade de sonhar mais. O Patrono que ele seguia era o dele mesmo, o qual tomou a forma de um veado, que era também a forma Animaga que o seu pai tomava. Naturalmente, ele não sabia nenhum desses fatos neste ponto.

À noite antes da partida decisiva de quadribol com a Sonserina no terceiro ano, Harry sonhou primeiro que tinha dormido demais e que a sua equipe tinha tido de usar Neville em seu ligar e perdido. Revisitando aquilo depois dos problemas de Harry com os seus sonhos em OdF, e especialmente a profecia perdida, é interessante que Neville seja o substituto escolhido, e que a razão de Neville ter sido necessário foi que Harry tinha dormido demais.

Depois do sonho sobre Neville tendo que substituí-lo, Harry então sonhou que a equipe da Sonserina montava dragões e que ele tinha esquecido a sua vassoura. Menos de um ano depois, é claro, Harry teve de passar por um dragão no ar com a sua Firebolt.

Adormecendo na biblioteca enquanto estudava feitiços relacionados à água para a segunda tarefa, Harry sonhou que a sereia da pintura do banheiro dos monitores estava rindo e segurando a sua Firebolt acima da sua cabeça enquanto ele flutuava como uma rolha na água borbulhante próximo a sua rocha. Ela zombava dele para ir e pegá-la, enquanto ele dizia que não podia, lutando para não afundar enquanto tentava apanhá-la.

O sonho da sereia é interessante, porque naquele ponto Harry sabia pela pista do ovo (embora talvez não conscientemente) que a segunda tarefa envolvia o povo sereiano tomando sua posse mais valiosa e ele tinha de ir recuperá-la; desde que ele está pensando em posses materiais ao invés de arriscar a pele de pessoas vivas, naturalmente a Firebolt é símbolo do que ele aprecia mais, um ponto interessante considerando alguns outros sonhos de Harry nos quais a Firebolt aparece.

O sonho na aula de Adivinhação de Trelawney, Harry adormeceu e sonhou que ele estava voando nas costas de um corujão. Ele vôou em direção a uma casa velha, coberta por hera em uma colina e entrou em uma janela no andar de cima. Vôou no corujão ao longo de um corredor até uma sala que era escura, porque as suas janelas estavam com tábuas. Ele abandonou o corujão. O corujão pousou em uma cadeira com as suas costas virada para Harry, fora de vista. Harry viu duas coisas no chão: uma grande cobra e Rabicho. Harry assistiu a alguém na cadeira torturar Rabicho com a Maldição Cruciatus depois de dizer-lhe que o seu erro não tinha arruinado tudo no fim. Quando Harry acordou deste sonho, ele sabia que era significante e ele imediatamente partiu para contar a Dumbledore.

Durante o verão depois do seu quarto ano, Harry teve pesadelos durante semanas nos quais ele revisitou o cemitério no qual Cedrico tinha morrido, e 'mesmo quando escapava dos pesadelos sobre Cedrico ele tinha sonhos inquietantes sobre longos corredores escuros, todos acabando sem saída e portas trancadas, que ele supôs que tinham algo a ver com a sensação de estar preso que ele sentia quando estava acordado. Harry nem tinha cometido a transgressão da qual ele teve a audição disciplinar naquele ponto, sem falar que ele visitou o Ministério e viu a porta em questão. Aqueles sonhos, é claro, podem ter sido causados pela alimentação da sua conexão com Voldemort, ou pelo seu próprio talento excepcional.

Na primeira noite de Harry no Largo Grimmauld, ele adormeceu pensando que ele ouvia 'outras pessoas descendo as escadas'... Na verdade, criaturas com muitas pernas galopando quietamente para cima e para baixo do lado de fora do seu quarto, e Hagrid... dizia, 'Umas lindezas, não são, Harry? Este semestre vamos estudar armas... ' E Harry via que as criaturas tinham canhões no lugar de cabeças e estavam manobrando para enfrentá-lo. Galopar é algo que poderia esperar-se que centauros ou testrálios fizessem, e ambos estão depois envolvidos com a Batalha do Departamento de Mistérios - centauros tanto no confronto com Umbridge e na Fonte dos Irmãos Mágicos, testrálios como transporte à batalha.

Pelos dias no Largo Grimmauld antes da sua audição disciplinar, Harry dormiu mal, e continuou tendo sonhos sobre corredores e portas trancadas que fizeram a sua cicatriz pinicar, porém nunca tivesse visto a porta enquanto acordado até a manhã da sua audição.

Na noite antes de pegar o Expresso de Hogwarts no começo do seu quinto ano (também, desconhecido a Harry no momento, na noite em que Estúrgio Podmore foi preso), Harry teve uma noite inquieta de sono. 'Os seus pais entravam e saíam dos seus sonhos, sempre calados; a Sra. Weasley soluçava sobre o cadáver de Monstro, observada por Rony e Hermione, que estavam usando coroas, e mais uma vez Harry se viu descendo por um corredor que terminava em uma porta fechada. ’ Na superfície, as coroas são um símbolo dos distintivos recentemente adquiridos de monitores, mas parece significante que Hogwarts passará a maior parte do ano escutando 'Weasley é o nosso Rei' - especialmente desde que Draco não tinha escrito ainda (escreveu-o especialmente quando Rony se tornou goleiro). Interessante, sob aquela luz, que Hermione seria coroada ao lado de Rony. Monstro parece um símbolo do destino de Sirius neste contexto.

Depois vimos um sonho que o próprio Harry pensou que fosse um completo lixo: o sonho foi interrompido pela sua visão da cobra gigantesca de Voldemort. Harry sonhou que ele estava de volta na Sala Precisa com Cho, que o acusava de enganá-la sobre falsas promessas, dizendo que ele tinha prometido 150 cartões de Sapos de Chocolate se ela aparecesse (o mesmo número de pontos que um Apanhador bem sucedido marca em um jogo - Harry, Cho, e Cedrico, é claro, são todos Apanhadores das suas respectivas equipes).

Harry protestou... Cho gritava: “Cedrico me dava montes de cartões de Sapos de Chocolate, olhe aqui!” E ela tirava de dentro das vestes a mão cheia de cartões e os atirava no ar. Então, Cho se transformou em Hermione, que disse: “Você prometeu, sim, Harry... acho que é melhor dar outra coisa a ela... que tal a sua Firebolt?” E Harry protestava que não podia dar a Cho a Firebolt, porque Umbridge a confiscara, e, afinal de contas, aquilo tudo era ridículo, ele só viera à sala da AD para pendurar algumas bolas de Natal com o formato da cabeça de Dobby...

Considerando o simbolismo da Firebolt no sonho prévio, é interessante que Hermione dissesse que Harry devia dar a Cho a Firebolt em vez disso.

Os cartões de bruxas e bruxos famosos ressonam com os retratos bruxos; a imagem deles sendo lançados no ar lembra o fim de Alice no País das Maravilhas, como Alice gritou que eles eram nada além de um pacote de cartas quando eles voaram nela, acordando para encontrar sua irmã terminando de costurar. Harry teria razão ao associar Cedrico com os retratos, dado que Vítor Krum corria em volta dos retratos na noite da seleção dos campeões do Tribruxo.

Considerando a decoração de Dobby da Sala Precisa no Natal, as decorações inversas no sonho são um toque preciso, mas considerem as cabeças de elfos domésticos empalhadas e decoradas para o Natal no Largo Grimmauld onde Harry de fato passou o Natal depois, embora naquela noite na hora em que ele adormeceu, ele pensasse que passaria o Natal na Toca.

No início do seu sexto ano, Harry sonhou que Rony o perseguia com um bastão de batedor uma noite depois de ele começar a perceber que os seus sentimentos por Gina eram menos do que platônicas. Isto foi seguido por sonhos sobre a própria Gina, mas esses não parecem necessitar que um Vidente para os interpretar.

Por outro lado, os sonhos de Harry foram "quebrados e perturbados por imagens de Malfoy, que se tornava Slughorn, que virava Snape..."

Depois da morte de Dumbledore, os sonhos de Harry "foram cheios de taças, medalhões, e objetos misteriosos que ele não conseguia alcançar, embora Dumbledore lhe oferecesse uma escada de corda que virava cobras no momento que ele começava a subir...”.



Livros: PF, CS, PdA, CdF, OdF, EdP, RdM







ESPECIAIS
<a href="http://www.potterish.com/wiki/index.php/Categoria:Arte">Fan Arts</a> | <a href="http://www.potterish.com/wiki/index.php/QG_Esfinge">Quizzes</a> | <a href="http://www.potterish.com/wiki/index.php/Portal:Vira-Tempo">Linhas do Tempo</a> | <a href="http://www.potterish.com/wiki/index.php/Categoria:Penseira">Biografias</a> | <a href="http://wiki.potterish.com/index.php/Portal:Sonorus">Citações</a>



Para correções, sugestões, críticas e elogios, entre em contato! Clique <a href="http://arquivo.potterish.com/?p=con">aqui</a>.