Chapéu Seletor

Link:http://galeria.potterish.com/thumbnails.php?album=1821

Chapéu que seleciona a casa que os estudantes irão participar. Era, originalmente, o chapéu de bruxo de Godrico Gryffindor, o fundador da Grifinória. O chapéu foi enfeitiçado pelos quatro fundadores, de forma que possuísse inteligência.

Atualmente, sua aparência é gasta, desfiada e encontra-se extremamente sujo. Quando necessita falar ou cantar, abre-se um rasgo próximo à borda, como uma boca.

A cada in√≠cio de ano letivo, o Chap√©u canta uma can√ß√£o de introdu√ß√£o (a qual muda a cada ano) descrevendo as caracter√≠sticas de cada Casa; a can√ß√£o d√° in√≠cio √† Cerim√īnia de Sele√ß√£o.

Então, os estudantes do primeiro ano devem sentar-se num banquinho, na frente de todos os outros alunos, colocar o chapéu na cabeça e esperar o veredito, o qual surge através de uma vozinha que fala dentro do chapéu.

Quando n√£o est√° sendo usado na Cerim√īnia de Sele√ß√£o, o Chap√©u repousa no escrit√≥rio do diretor.

Can√ß√Ķes da Cerim√īnia de Sele√ß√£o

1¬ļ ano

Ah, vocês podem me achar pouco atraente,
Mas não me julguem só pela aparência
Engulo a mim mesmo se puderem encontrar
Um chapéu mais inteligente do que o papai aqui.
Podem guardar seus chapéus-coco bem pretos,
Suas cartolas altas de cetim brilhoso
Porque sou o Chapéu Seletor de Hogwarts
E dou de dez a zero em qualquer outro chapéu.
Não há nada escondido em sua cabeça
Que o Chapéu Seletor não consiga ver,
Por isso é só me porem na cabeça que vou dizer
Em que casa de Hogwarts dever√£o ficar.
Quem sabe sua morada é a Grifinória,
Casa onde habitam os cora√ß√Ķes ind√īmitos.
Ousadia e sangue-frio e nobreza
Destacam os alunos da Grifinória dos demais;
Quem sabe é na Lufa-lufa que você vai morar,
Onde seus moradores s√£o justos e leais
Pacientes, sinceros, sem medo da dor;
Ou ser√° a velha e s√°bia Corvinal,
A casa dos que têm a mente sempre alerta,
Onde os homens de grande espírito e saber
Sempre encontrar√£o companheiros seus iguais;
Ou quem sabe a Sonserina ser√° a sua casa
E ali far√° seus verdadeiros amigos,
Homens de ast√ļcia que usam quaisquer meios
Para atingir os fins que antes colimaram.
Vamos, me experimentem! N√£o devem temer!
Nem se atrapalhar! Estar√£o em boas m√£os!
(Mesmo que os chapéus não tenham pés nem mãos)
Porque sou √ļnico, sou um Chap√©u Pensador!

4¬ļ ano

H√° mil anos ou pouco mais,
Eu era recém-feito,
Viviam quatro bruxos de fama,
Cujos nomes todos ainda conhecem:
O valente Gryffindor das charnecas,
O bonito Ravenclaw das ravinas,
O meigo Hufflepuff das planícies,
O astuto Slytherin dos brejais.
Compartiam um desejo, um sonho,
Uma esperança, um plano ousado
De, juntos, educar jovens bruxos,
Assim começou a Escola de Hogwarts.
Cada um desses quatro fundadores
Formou sua própria casa, pois cada
Valorizava virtude v√°ria
Nos jovens que pretendiam formar.
Para Gryffindor os valentes eram
Prezados acima de todo o resto;
Para Ravenclaw os mais inteligentes
Seriam sempre os superiores;
Para Hufflepuff, os aplicados eram
Os merecedores de admiss√£o;
E Slytherin, mais sedento de poder,
Amava aqueles de grande ambição.
Enquanto vivos eles separaram
Do conjunto os seus favoritos
Mas como selecionar os melhores,
Quando um dia tivessem partido?
Foi Gryffindor que encontrou a solução
Tirando-me da própria cabeça
Depois me dotaram de cérebro
Para que por eles eu pudesse escolher!
Coloque-me entre suas orelhas,
Até hoje ainda não me enganei.
Darei uma olhada em sua cabeça
E direi qual a casa do seu coração!

5¬ļ ano

Antigamente quando eu era novo
E Hogwarts apenas alvorecia
Os criadores de nossa nobre escola
Pensavam que jamais iriam se separar:
Unidos por um objetivo comum,
Acalentavam o mesmo desejo,
Ter a melhor escola de magia do mundo
E transmitir seus conhecimentos.
"Juntos construiremos e ensinaremos!"
Decidiram os quatro bons amigos
Jamais sonhando que chegasse um dia
Em que poderiam se separar,
Pois onde se encontrariam amigos iguais
A Salazar Slytherin e Godric Gryffindor?
A n√£o ser em outro par semelhante
Como Helga Hufflepuff e Rowena Ravenclaw?
Ent√£o como p√īde malograr a id√©ia
E toda essa amizade fraquejar?
Ora estive presente e posso narrar
Uma história triste e deplorável.
Disse Slytherin: "Ensinaremos só
Os da mais pura ancestralidade."
Disse Ravenclaw: "Esinaremos os
De inegável inteligência."
Disse Gryffindor: "Ensinaremos os
De nomes ilustres por grandes feitos."
Disse Hufflepuff: "Ensinarei todos,
E os tratarei com igualdade."
Diferenças que pouco pesaram
Quando no início vieram à luz,
Pois cada fundador ergueu para si
Uma casa em que podiam admitir
Apenas os que quisesse, por isso
Slytherin, aceitou apenas os bruxos
De puro-sangue e grande ast√ļcia,
Que a ele pudessem vir a igualar,
E somente os de mente mais aguda
Tornaram-se alunos de Ravenclaw,
Enquanto os mais corajosos e ousados
Foram para o destemido Gryffindor.
A boa Hufflepuff recebeu os restantes
E lhes ensinou tudo que conhecia,
Assim as casas e idealizadores
Mantiveram amizade firme e fiel.
Hogwarts trabalhou em paz e harmonia
Durante v√°rios anos felizes,
Mas então a discórdia se insinuou
Nutrida por nossas falhas e medos.
As casas que, como quatro pilares,
Tinham sustentado o nosso ideal,
Voltaram-se umas contra as outras e
Divididas buscaram dominar.
Por um momento pareceu que a escola
Em breve encontraria um triste fim,
Os duelos e lutas constantes
Em combates de amigo contra amigo
E finalmente chegou uma manh√£
Em que o velho Slytherin se retirou
E embora a briga tivesse cessado
Deixou-nos todos muito abatidos.
E nunca desde que reduzidos
A três seus quatro fundadores
As Casas retomaram a uni√£o
Que de início pretenderam manter.
E agora o Chapéu Seletor aqui está
E todos vocês sabem para quê:
Eu divido vocês entre as casas
Pois esta é a minha razão de ser
Mas este ano farei mais do que escolher
Ouçam atentamente a minha canção:
Embora condenado a separ√°-los
Preocupa-me o erro de sempre assim agir
Preciso cumprir a obrigação, sei
Preciso quarte√°-los a cada ano
Mas questiono se selecionar
N√£o poder√° trazer o fim que receio.
Ah, conheço os perigos, os sinais
Mostra-nos a história que tudo lembra,
Pois nossa Hogwarts corre perigo
Que vem de inimigos externos, mortais
E precisamos nos unir em seu seio
Ou ruiremos de dentro para fora
Avisei a todos, preveni a todos...
Daremos agora início à seleção.

Em inglês: Sorting Hat


Livros PF (104)






ESPECIAIS
Fan Arts | Quizzes | Linhas do Tempo | Biografias | Cita√ß√Ķes

Para corre√ß√Ķes, sugest√Ķes, cr√≠ticas e elogios, entre em contato! Clique aqui.