VIRA-TEMPO

O que realmente aconteceu na noite em que Tiago e Lílian foram mortos?

Uma linha do tempo e comentários, com infos pré-Relíquias da Morte


“Fui eu que salvei Harry da casa de Lílian e Tiago depois que o casal morreu! Tirei o garoto das ruínas, coitadinho, com um corte na testa, e os pais mortos... e Sirius Black aparece, naquela moto voadora que ele costumava usar. Nunca me ocorreu o que ele estava fazendo ali...”
- Rúbeo Hagrid


Cronologia de Eventos


Itálico indica comentário e pergunta do editor.

DATA
EVENTO
1978 Lílian Evans e Tiago Potter terminam Hogwarts e imediatamente vão trabalhar para a Ordem da Fênix. Voldemort tentou recrutá-los para serem Comensais da Morte, mas ambos eram desafiadores. Lílian e Tiago provavelmente se casaram no verão ou outono de 1978, embora também possa ter sido no verão de 1979.
Outono de 1979 Sibila Trelawney faz uma profecia a Alvo Dumbledore sobre uma criança que nasceria em julho daquele ano. Parcialmente entreouvido por um Comensal da Morte, Severo Snape, que conta o que ele ouviu para Voldemort.
Cerca de outubro de 1979 Lílian fica grávida de Harry, e Tiago e ela se escondem por causa da profecia.
Julho de 1980 Duas crianças que se encaixam no critério da profecia nascem: Harry Potter e Neville Longbottom. Dumbledore sabe que estão em perigo, mas hesita em agir até que soubesse mais sobre o que Voldemort pretendia fazer.
Entre 31 de julho e 1º de setembro de 1980 Severo Snape, que descobre que Lílian e seu filho recém-nascido haviam sido marcados por Voldemort, tem uma crise de consciência e conta a Alvo Dumbledore. Snape oferece sua lealdade a Dumbledore em troca da proteção de Lílian e recebe a posição de mestre de Poções de Hogwarts.
Antes de 24 de outubro de 1981 Aproximadamente uma semana antes do ataque, Dumbledore sugere que os Potters usem o Feitiço Fidelius para proteger o esconderijo. Inicialmente, o fiel do segredo seria o melhor amigo de Tiago, Sirius Black. Porém, Sirius persuadiu-os de blefar e usar Pedro Pettigrew em seu lugar. Infelizmente, Pettigrew havia se tornado um servo de Voldemort, traindo-os ao contar onde estavam escondidos. Uma semana após o feitiço ser conjurado, Lílian e Tiago são atacados por Lorde Voldemort.
Segunda*, 31 de outubro de 1981, noite em Godric's Hollow
*31 de outubro de 1981 foi, na realidade, um sábado e não uma segunda.
"Sons de alguém tropeçando em um quarto, a porta abrindo com um estouro, uma gargalhada aguda.

Voz de Lílian: - O Harry não, o Harry não, por favor, o Harry não!
Voldemort: “- Afaste-se, sua tola... afaste-se agora...
Lílian: - O Harry não, por favor não, me leve, me mate no lugar dele
Lílian: - O Harry não! Por favor... tenha piedade... tenha piedade...
Harry ouve uma voz aguda gargalhando e a mulher gritando."

Harry se lembra de um lampejo verde ofuscante e uma dor que queima em sua testa, depois uma risada cruel alta e fria. Voldemort havia usado a Maldição da Morte em Lílian e Harry.

Dumbledore sabe Dumbledore havia colocado um feitiço na casa e soube imediatamente o que acontecera. Ele manda Hagrid para resgatar Harry.

O que aconteceu com Harry Lílian foi morta, mas Harry, de um ano de idade, sobreviveu, marcado com uma grande ferida pela maldição que deveria ter tomado sua vida. Voldemort perdeu quase todo seu poder, assim como seu corpo, e fugiu “horrivelmente fraco”. Dumbledore acredita que o amor e sacrifício de Lílian (“magia antiga”) criou uma proteção invencível em Harry, e que a maldição, então, ricocheteou para Voldemort. Mais tarde, Dumbledore começa a acreditar que ao amaldiçoar Harry, um pedaço da alma instável de Voldemort rompeu e se uniu a ele através da ferida em forma de raio. Isso teve o efeito de dar a Harry alguns dos próprios poderes de Voldemort, incluindo o fato de fazê-lo um ofidioglota e criar uma conexão psíquica entre eles. Essa conexão se fortaleceu conforme Harry ficou mais velho e Voldemort mais forte – pelo menos até Voldemort começar a bloqueá-la depois da Batalha do Departamento de Mistérios.

Relato de Voldemort sobre o que aconteceu com ele “- A dor que ultrapassa a dor, meus amigos; nada poderia ter me preparado para aquilo. Fui arrancado do meu corpo, me tornei menos que um espírito, menos que o fantasma mais insignificante... mas, ainda assim, continuei vivo. Em que transformei, nem eu mesmo sei... Cheguei mais longe do que qualquer outro no caminho que leva à imortalidade. Vocês conhecem meu objetivo, vencer a morte. E agora fui testado, e aparentemente uma, ou mais de uma, das minhas experiências foi bem sucedida. Contudo, fiquei tão impotente quanto a mais fraca criatura viva...” Um dos poderes restantes de Voldemort é o de ser capaz de possuir o corpo de outros.

O que aconteceu com a casa? Há alguns mistérios sobre o que aconteceu com a casa. Sabemos que outras Maldições da Morte não causaram dano à estrutura e aos corpos (os assassinatos na casa dos Riddle, por exemplo); normalmente mata, mas não deixa trauma visível. Hagrid ainda conta a Dumbledore que a casa estava “quase” destruída; ele também diz a Harry que um “feitiço maligno” destruíra a casa.

Comentário: Por outro lado, vimos inúmeros casos onde ricocheteio ou maldições miradas erradas causam dano considerável: o Feitiço da Memória que ricocheteou para Lockhart em Câmara Secreta, que fez o teto desmoronar tanto que bloqueou o túnel; o Estupefaça que ricocheteou e quebrou estátuas de mármore quando os Comensais da Morte tentavam capturar Harry; maldições que ricochetearam e quebraram a ampulheta da Grifinória e estouraram pedras quando os Comensais da Morte invadiram Hogwarts; maldições miradas erradas colocaram uma mesa em chamas e estilhaçou estátuas no Departamento de Mistérios.

Onde Dumbledore está? Jo nunca nos disse onde Dumbledore estava ou o que estava fazendo entre a notícia da morte dos Potters e sua chegada na Rua dos Alfeneiros à meia-noite de 1º de novembro.

Terça, 1º de novembro de 1981 Minerva McGonagall encontra-se com Hagrid. Hagrid conta a ela muito pouco sobre o que aconteceu; tudo o que ele diz é que Dumbledore iria a Rua dos Alfeneiros, nº 4 mais tarde naquele dia. Ela não foi nem informada, neste ponto, qual a importância que esse endereço tem, já que mais tarde fica chocada ao descobrir que Dumbledore pretendia deixar Harry lá, além de não estar ciente de que aqueles trouxas horríveis são parentes de Harry. Hagrid também não diz a ela que Tiago e Lílian foram mortos (ou então ela se recusou a acreditar nisso até que ouvisse Dumbledore confirmar pessoalmente).

'Hagrid chega a Hollow. Em algum momento nas primeiras horas da manhã, Dumbledore manda Rúbeo Hagrid à Godric's Hollow. O máximo que sabemos é que Hagrid aparece primeiro na cena. Não sabemos como ele viaja até lá, mas ele chega tão rápido que é capaz de resgatar Harry das ruínas da casa pouco antes dos trouxas começarem a “se aglomerar em volta”.

Comentário: Podemos adivinhar a partir das instruções que Hagrid recebe de Dumbledore, que ele já sabia (pelo seu feitiço na casa) que Harry estava órfão, e que a “magia antiga” havia sido executada para protegê-lo. Dumbledore já havia decidido que o melhor lugar para Harry era com seus parentes sangüíneos restantes, os Dursleys.

Os corpos?
JKR ainda não explicou isso. Quando Hagrid nos conta sobre aquela manhã, nunca é feita nenhuma menção sobre o que restou dos corpos dos Potters, ou até sobre o que restou de Voldemort.

Comentário: Já que trouxas estavam aparecendo por toda a parte (de acordo com Hagrid), as autoridades trouxas podem ter se envolvido na retirada dos corpos.

As varinhas?
Para as varinhas de Tiago e Lílian não há explicação. Pedro Pettigrew foi até a casa e retirou a varinha de Voldemort.

Comentário: De acordo com uma informação não confirmada do Festival de Livro em Edimburgo de 2004, JKR disse a alguém que Pettigrew escondeu a varinha enquanto ele fingia ser um rato da família Weasley.

Sirius chega. Sirius diz que tinha combinado previamente com Tiago e Lílian para “verificar com Pedro” naquela quarta. Quando ele descobriu que Pettigrew não estava em seu esconderijo, Sirius ficou preocupado e pegou sua moto voadora para a casa em Godric’s Hollow, onde ele estava horrorizado pela destruição e morte. Hagrid ainda está lá e o conforta, e Sirius, sendo padrinho de Harry, pede para levar a criança. Porém, Hagrid está sob ordens estritas de Dumbledore para levá-lo até a casa de seus tios na Rua dos Alfeneiros. Sirius dá sua moto a Hagrid para a viagem, dizendo “Eu não precisarei mais dela”.

As notícias se espalham. E a notícia é rapidamente espalhada pelo mundo bruxo: em algum momento antes das 8:30 daquela manhã, Minerva McGonagall (mais propriamente um gato nervoso) já está esperando e vigiando na Rua dos Alfeneiros, e as pessoas estão começando a celebrar. Válter Dursley vai trabalhar.

Um dia inteiro passa.

Dumbledore chega a Rua dos Alfeneiros logo antes da meia-noite e diz a Minerva McGonagall que Hagrid está atrasado, então um outro mistério é o intervalo de tempo entre o horário que Hagrid e Sirius partem e o horário que Hagrid chega a Rua dos Alfeneiros. Quando Hagrid chega lá (na moto de Sirius), está claro de sua informação que ele não via Dumbledore desde que tinha partido para Godric’s Hollow. Há pelo menos 12 horas que não são explicadas. Hagrid relutantemente entrega Harry a Dumbledore para colocá-lo na batente da casa dos Dursleys.

Sobre a moto de Hagrid e Sirius Nas primeiras versões de Harry Potter e a Pedra Filosofal, antes de Hagrid deixar a Rua dos Alfeneiros, ele diz a Dumbledore que ia devolver a Sirius sua moto. De acordo com Steve Vander Ark, Jo havia requerido que seus editores mudassem o diálogo de Hagrid de “Vou devolver a moto de Sirius” para “É melhor eu levar esta moto”. Isso é aparentemente para a continuidade, porque no livro 3, Sirius diz a Hagrid que ele pode ficar com a moto porque ele “não precisará mais dela”. Essa mudança já foi feita em edições publicadas no Reino Unido.

Até agora, a moto não reapareceu nos livros, embora em WBD (bate-papo online no Word Book Day), JKR nos disse que iríamos descobrir o que aconteceu a ela, mas “os verdadeiros detetives entre vocês devem ser capazes de adivinhar”.

Quarta, 2 de novembro de 1981 Petúnia Dursley encontra Harry embrulhado em cobertores na batente da porta de entrada, junto com uma carta de Alvo Dumbledore dentro. Ela concorda em suprir Harry com uma casa, e ao fazer isso, intencionalmente firma um feitiço protetor nele, enquanto vive na casa dela.
Comentário: Esta carta é muito interessante. No filme, a carta é endereçada ao “Sr. e Sra. Dursley”. JKR nos disse que esta foi a última carta de Dumbledore para Petúnia, mas não sua primeira.

Sirius confronta Pettigrew. Naquele mesmo dia, Sirius encontra e encurrala Pedro Pettigrew em alguma área metropolitana (onde?), mas de acordo com Sirius, Pettigrew berrou “para a rua inteira que eu havia traído Lílian e Tiago. Então, antes que eu pudesse lhe lançar um feitiço, ele explodiu a rua com a varinha escondida às costas, matou todo mundo em um raio de seis metros, e fugiu para dentro do bueiro com os outros ratos...”. A explosão matou 12 trouxas.

Um ministro júnior do Departamento de Acidentes e Catástrofes Mágicas é o primeiro a aparecer na cena. Seu nome é Cornélio Fudge. Ele narra: “Uma cratera no meio da rua, tão funda que rachou a tubulação de esgoto embaixo. Cadáveres por toda a parte. Trouxas berrando. E Black parado ali, dando gargalhadas diante do que restava de Pettigrew... um monte de vestes ensangüentadas e uns poucos, uns poucos fragmentos...” A maior parte de Pettigrew que encontraram foi seu dedo. Vinte membros do Esquadrão de Execução das Leis da Magia prenderam Sirius Black enquanto Fudge começava a modificar as memórias das testemunhas.

Alguém está tão curioso como eu estou sobre Fudge ter sido o primeiro a aparecer na cena? Interessante. Isso significa que o que todos sabiam daquele acontecimento veio, em sua maioria, de Fudge, o que pode explicar o porquê de todos assumirem que Sirius era culpado, e porque não houve nem um julgamento.

Sirius é preso. As testemunhas trouxas afirmaram que Pettigrew encurralou Black e atacou Sirius dizendo “Lílian e Tiago, Sirius! Como é que você pôde?”. Então disseram que Sirius levantou sua varinha e explodiu Pettigrew “em pedacinhos”. Black é levado por vinte membros do Esquadrão de Execução das Leis da Magia e é preso em Azkaban, sem julgamento; Pettigrew postumamente recebe a Ordem de Merlim, Primeira Classe.

Embora Harry, Rony, Hermione e os membros da Ordem da Fênix no fim percebessem que Sirius Black era inocente, Black nunca foi oficialmente limpo da acusação do crime.


Citações Chave


Profecia de Sibila Trelawney, proferida a Dumbledore no início do verão de 1980 no Cabeça de Javali em Hogsmeade:
Aquele com o poder de vencer o Lorde das Trevas se aproxima...
Nascido dos que o desafiaram três vezes, nascido ao terminar o sétimo mês...
E o Lorde das Trevas o marcará como seu igual, mas ele terá um poder que o Lorde das Trevas desconhece...
E um dos dois deverá morrer na mão do outro pois nenhum poderá viver enquanto o outro sobreviver... (Voldemort sabe apenas as duas primeiras partes da profecia)

Pedra Filosofal, capítulo 4 Hagrid: “Você nunca se perguntou como arranjou essa marca na testa? Isso não foi um corte normal. Isso é o que se ganha quando um feitiço poderoso e maligno atinge a gente; destruiu os seus pais e até a sua casa, mas não fez efeito em você, e é por isso que você é famoso, Harry.”

Cálice de Fogo, capítulo 2 Harry tinha um ano de idade na noite em que Voldemort – há um século o bruxo das trevas mais poderoso do mundo, um bruxo que fora adquirindo poder continuamente durante onze anos – tinha chegado a sua casa e matado seus pais. Depois, Voldemort brandira sua varinha contra Harry; executara o feitiço que havia liquidado muitos bruxos adultos durante sua ascensão ao poder – e, inacreditavelmente, o feitiço não produzira efeito. Em vez de matar o garotinho, o feitiço se voltara contra o bruxo. Harry sobrevivera marcado apenas por um corte em forma de raio na testa, mas Voldemort fora reduzido a uma coisa quase sem vida. Despojado de seus poderes, a vida quase extinta, ele fugira; o terror em que a comunidade secreta de bruxos vivera tanto tempo se dissipou, os seguidores de Voldemort debandaram, e Harry Potter se tornou famoso.

Cálice de Fogo, capítulo 14 Harry imaginara a morte dos pais muitas vezes nesses três anos, desde que descobrira que tinham sido assassinados, desde que descobrira o que acontecera naquela noite: como Rabicho informara o esconderijo de seus pais a Voldemort, que viera procurá-los em casa. Como o bruxo matara primeiro o pai de Harry. Como Tiago Potter tentara atrasá-lo, enquanto gritava para a mulher apanhar Harry e correr... e Voldemort avançara para Lílian Potter, dissera-lhe para se afastar para ele poder matar Harry... como sua mãe suplicara para que a matasse no lugar do filho, recusara-se a deixar de proteger o filho com o corpo... e então Voldemort a assassinara também, antes de virar a varinha contra Harry...

Festival de Livro em Edimburgo 2004 “Harry não viu seus pais morrerem. Ele tinha um ano de idade e estava no berço naquele momento. Embora você nunca tenha visto aquela cena, escrevi e cortei-a. Ele não viu isso; ele era muito novo para perceber.” (JKR)

TLC JKR: [Lílian] poderia ter vivido e escolheu morrer. Tiago seria morto de qualquer forma. Você vê o que quero dizer? Não estou dizendo que Tiago não estava preparado; ele morreu tentando proteger sua família, mas ele seria assassinado de qualquer forma. Ele não tinha – não foi dada uma escolha a ele, então ele entrou nisso instintivamente, acho que há distinções em coragem. Tiago era imensamente corajoso. Mas o calibre da coragem de Lílian foi, acho que neste caso, mais elevado, porque ela poderia ter se salvo. Agora qualquer mãe, qualquer mãe normal teria feito o que Lílian fez. Então, neste senso, a coragem dela também foi instintiva, mas foi dado a ela tempo para escolher. Tiago não teve. É como um intruso entrando em sua casa, não é? Você poderia instintivamente tentar impedi-lo. Mas se a sangue frio dissessem a você, “Saia do meu caminho”, sabe, o que você faria? Digo, não acho que alguma mãe sairia da frente de seu filho. Mas isto responde a pergunta? Ela estava muito consciente sobre sacrificar sua vida. Ela tinha uma escolha clara –

ES: E Tiago não tinha.

JKR: Ele morreu claramente para tentar e proteger Harry especificamente dado uma chance de escolha? Não. É uma distinção sutil e há um pouco mais sobre isso do que eu falei, mas esta é a maior parte da resposta.

MA: Ela sabia alguma coisa sobre o possível efeito de se colocar na frente de Harry?

JKR: Não – porque, como eu tentei deixar claro na série, isso nunca aconteceu antes. Ninguém jamais sobreviveu antes. E ninguém, portanto, sabia que poderia acontecer.

MA: Então ninguém – Voldemort ou qualquer um usando Avada Kedavra – jamais deu a alguém uma escolha e depois aceitaram a opção [de morrer] –

JKR: A eles pode ter sido dada uma escolha, mas não deste modo em particular.

PotterCast #130 JKR: “Obviamente Dumbledore poderia conjurar um feitiço em uma residência, que imediatamente o alertaria se alguma coisa acontecesse a ela. Então ele pode saber instantaneamente. Isso não é um problema. E depois ele poderia mandar Hagrid, e assim por diante. [...] Eu terei realmente que voltar em algumas notas, e, ou admitir que perdi 24 horas, ou, não sei, apressadamente contar alguma história para preencher o tempo. Dentre os dois, ou você aceita estar certo ou você fica com mais histórias. Então você não pode reclamar.


Mistérios remanescentes


  • Então onde Hagrid e Harry estavam na maior parte de terça?
  • Onde Dumbledore estava?

Onde Harry e Hagrid estavam por todo aquele tempo?

Agora isso fica realmente misterioso. Quando tentamos localizar o paradeiro de Hagrid entre o ataque em Godric’s Hollow e sua chegada na Rua dos Alfeneiros, encontramos uma lacuna enorme de quase 24 horas. Onde Hagrid levou Harry? Logicamente, deve ter sido em algum lugar para sua segurança, ou até cuidados médicos, enquanto Dumbledore apressadamente tomava providências. Talvez seja quando a Sra. Figg mudou-se para a casa há algumas ruas de distância dos Dursleys. Talvez Dumbledore estivesse conjurando proteções e feitiços para proteger a Rua dos Alfeneiros. Mas onde Hagrid estava?

Por que Harry não morreu quando a casa foi destruída?

Afinal, ele estava no segundo andar (cena escrita por JKR) e a casa estava completamente destruída. Como um bebê de um ano escapou sem se ferir?

Talvez nós vejamos uma dica de porque isso teria acontecido na fala de Hagrid, de que um acidente de carro não poderia ter matado Tiago e Lílian Potter. Isso pareceria que as pessoas bruxas não se machucam tão rapidamente por coisas como essa. Isso também pode ser relacionado com o fato de que as pessoas no mundo bruxo se engajam em atividades espantosamente perigosas todo o tempo e não parecem se machucar. Neville caiu de uma vassoura no ar e apenas quebrou o pulso. Aparentemente, isso não é tão mortal para um bruxo. Quando ele era mais novo, saltou ao cair de uma janela do andar superior, o que mostrou a sua família que Neville tinha poderes mágicos.

E o quadribol? Pessoas caem de grandes alturas, são acertadas na cabeça por sólidas bolas de ferro, e fazem todo tipo de coisa que poderia causar sérios ferimentos. Wood ainda diz a Harry que ninguém morreu jogando quadribol em Hogwarts. Isso certamente pareceria que as pessoas mágicas são protegidas em certa extensão pela “mágica” de seus corpos. (ver medical magic para uma discussão completa sobre o assunto)



Traduzido por: Fernanda Midori em 25/01/2009.
Artigo original no HP-Lexicon aqui.


<--- voltar







ESPECIAIS
Fan Arts | Quizzes | Linhas do Tempo | Biografias | Citações

Para correções, sugestões, críticas e elogios, entre em contato! Clique aqui.